"SEI QUE NADA SEI, NO ENTANTO SEI, QUE ENQUANTO VIVER COMBATEREI COM TUDO O
QUE ESTIVER AO MEU ALCANCE, TODOS OS QUE COMETEM ALIENAÇÃO PARENTAL"

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Vou-te Levando em Segredo

Os Amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria -
por mais amarga.

Eugénio de Andrade, "Coração do Dia"

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A Formiga e a Mulher

    Um dia uma formiga observou uma mulher carregando um enorme peso em suas costas, ao longo de sua jornada, esta mulher resmungava que a sua vida não estava da maneira que gostaria e que estava carregando mais peso do que podia.

No dia seguinte a formiga parou mais uma vez para observar uma outra mulher que também carregava um enorme peso, esta mulher reclamava que poderia carregar o dobro do peso que levava, se fosse reconhecida pelas pessoas que passavam por ela.

No terceiro dia a formiga observou outra mulher que também carregava um enorme peso, entretanto esta mulher parou e observou a pequena formiguinha com um gigantesco peso em suas costas que quadruplicava seu próprio tamanho e disse: " Um dia formiguinha, espero poder carregar algo tão grande quanto eu mesmo".

A formiga não acreditando no que ouvia disse: "Talvez você não possa carregar algo tão maior do que seu próprio corpo, no entanto com esse pensamento, você alcançará algo muito maior do que muitos não conseguem, nem ao menos pensar, assim você aos poucos e sem reclamar constrói seu IMPÉRIO INTERIOR... e dele; Poucos saberão seu poder". 

Adaptado de um original de: Enzo Pasqualetti

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

PESADELO

PARTIDA DE TRECES

                                                              
Por fin me paro                                                                      
y miro de reojo
lo que ha passado por mi vida
lo que se ha arrastrado por mis ojos,       
la suerte de mi destino.

Y entonces finjo no darme cuenta
de las lágrimas que se me escapan,
tapo con la mano el orgullo
y reconozco la luz.

En esta vida solo hay un camino
y no hay dolor que pare una lucha,
yo sigo a mi destino,
saliendo del pesar que esta vida me acusa.

Que mal arrastra al ser humano,
que ahoga la vida a un silencio,
que oculta el sueño tras de una herida,
que se hace preso de su mismo dueño.

A veces miro el cielo,
y limpio las lagrimas que me crecen
doy un suspiro al viento,
y sigo con mi partida de treces.

Francisco Gago Nieto

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Nesta Esquina do Tempo



Nesta esquina do tempo é que te encontro,
Ó nocturna ribeira de águas vivas
Onde os lírios abertos adormecem
A mordência das horas corrosivas.

Entre as margens dos braços navegando,
Os olhos nas estrelas do teu peito,
Dobro a esquina do tempo que ressurge
Da corrente do corpo em que me deito

Na secreta matriz que te modela,
Um peixe de cristal solta delírios
E como um outro sol paira, brilhando
Sobre as águas, as margens e os lírios.

José Saramago









segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Paz Interior


“Diz um velho conto Zen que um velho Monge Budista, Mestre em Artes Marciais era capaz de enfrentar e derrotar qualquer adversário por mais difícil que ele fosse.


Certo dia, um homem conhecido pela sua total falta de escrúpulos apareceu com a intenção de desafia-lo e claro, vencê-lo. O velho Monge aceitou o desafio e o homem começou de imediato a insultá-lo. Chegou a jogar algumas pedras em sua direcção, cuspiu para cima do velho Monge e gritou todos os tipos de insultos.

Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho Monge permaneceu impassível.
No final do dia, sentindo-se já exausto e humilhado, o homem se deu por vencido e retirou-se. Desapontados com a falta de reacção do velho Mestre, os alunos perguntaram-lhe como ele pudera suportar tanta humilhação. O Mestre então perguntou:

- Se alguém chega até vós com um presente, e vós não o aceitais, a quem pertence o presente?

- A quem tentou entregá-lo. Respondeu um dos discípulos.

- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando não aceites, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.

A vossa  paz interior depende exclusivamente de vós. As pessoas não podem vos tirar a calma a não ser que vós o deixais.”